Perspectivas 2022/3: Bruno Omori

O que o novo ano reserva para indústria de eventos no Brasil; Com o fim de 2021, é hora de olhar pra frente.

Com o fim de 2021, é hora de olhar pra frente. O que será de 2022?

Depois de um ano desafiador, de retomada da indústria de eventos, em 2022 vamos encarar o desafio de lidar com as novas variantes do coronavírus e reduzir os impactos da pandemia de Covid-19; eleições presidenciais e estaduais; Copa do Mundo em novembro;

O Portal Eventos neste início de ano está ouvindo líderes da Indústria de Eventos e do Turismo de Negócios, que fazem um balanço de expectativas e perspectivas sobre o que vem pela frente.

Confira abaixo o depoimento de Bruno Omori, presidente do IDT CEMA - Instituto de Desenvolvimento do Turismo, ex-presidente da ABIH São Paulo, e que foi eleito nos anos de 2014 e 2015 como Personalidade do Ano Prêmio Caio, e em 2015 conquistou o Grand Prix Prêmio Caio por voto popular no segmento Institucional, por sua atuação à frente da ABIH São Paulo.

PORTAL EVENTOS - Quais as perspectivas de nossa indústria no biênio 2022/2?

BRUNO OMORI - O turismo de lazer tem perspectivas de crescer de 5% a 8% em 2022 em relação a patamares de 2019, antes do inicio da pandemia, fato comprovado nos feriados de final de ano e inicio de temporada 2021/2022, que já apresentou um crescimento médio de 7% em relação ao ano de 2019.

A cada ano o brasileiro coloca o turismo de lazer na sua cesta de produtos de consumo, buscando a geração de novas experiências e de melhoria de qualidade de vida.

O turismo de negócios é impactado pela demanda de oportunidades de cada segmento econômico e dependente do MICE.

A retração causada pela pandemia ainda terá reflexos pelo menos nos próximos 4 anos. Cidades como São Paulo, Belo Horizonte, Campinas, Ribeirão Preto, continuam com a demanda de 30% a 50% menores que em 2019, com taxas de ocupação em pequena recuperação, mas diárias medias de até 60% inferiores às apresentadas antes da pandemia.